DO CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA

A EXISTÊNCIA DOS ANJOS - UMA VERDADE DE FÉ

328 - A existência dos seres espirituais, não-corporais, a que a Sagrada Escritura habitualmente chama anjos, é uma verdade de fé. O testemunho da Escritura é tão claro como a unanimidade da Tradição.

QUEM SÃO OS ANJOS?

329 - Santo Agostinho diz a respeito deles: «Angelus officii nomen est, non naturae. Quaeris nomen naturae, spiritus est; ex eo quod agit, angelus» (Enarr. in. Ps., 103, 1, 15). De todo o seu ser, os anjos são servos e mensageiros de Deus. Pelo facto de contemplarem «continuamente o rosto de meu Pai que está nos Céus» (Mt 18,10), eles são «os poderosos executores das suas ordens, sempre atentos à sua palavra» (SL 102,20).

330 - Enquanto criaturas puramente espirituais, são dotadas de inteligência e vontade: são criaturas pessoais e imortais. Ultrapassam em perfeição todas as criaturas visíveis. O esplendor da sua glória assim o atesta.

CRISTO «COM TODOS OS SEUS ANJOS»

331. Cristo é o centro do mundo dos anjos (angélico). Estes pertencem-Lhe: «Quando o Filho do Homem vier na sua glória, acompanhado por todos os [seus] anjos...» (Mt 25, 31). Pertencem-Lhe, porque criados por e para Ele: «em vista d'Ele é que foram criados todos os seres, que há nos céus e na terra, os seres visíveis e os invisíveis, os anjos que são os tronos, senhorias, principados e dominações. Tudo foi criado por seu intermédio e para Ele» (Cl 1, 16), E são d'Ele mais ainda porque Ele os fez mensageiros do seu plano salvador: «Não são eles todos espíritos ao serviço de Deus, enviados a fim de exercerem um ministério a favor daqueles que hão-de herdar a salvação?» (Heb 1, 14).

332. Ei-los, desde a criação (172) e ao longo de toda a história da salvação, anunciando de longe ou de perto esta mesma salvação, e postos ao serviço do plano divino da sua realização: eles fecham o paraíso terrestre (173); protegem Lot (174), salvam Agar e seu filho (175), detêm a mão de Abraão (176) pelo seu ministério é comunicada a Lei (177), são eles que conduzem o povo de Deus (178), anunciam nascimentos (179) e vocações (180) assistem os profetas (181) - para não citar senão alguns exemplos. Finalmente, é o anjo Gabriel que anuncia o nascimento do Precursor e o do próprio Jesus (182).

333. Da Encarnação à Ascensão, a vida do Verbo Encarnado é rodeada da adoração e serviço dos anjos. Quando Deus «introduziu no mundo o seu Primogénito, disse: Adorem-n'O todos os anjos de Deus» (Heb 1, 6). O seu cântico de louvor, na altura do nascimento de Cristo, nunca deixou de se ouvir no louvor da Igreja: «Glória a Deus [...]» (Lc 2, 14). Eles protegem a infância de Jesus (183), servem-n'O no deserto (184) e confortam-n'O na agonia (185) no momento em que por eles poderia ter sido salvo das mãos dos inimigos (186) como outrora Israel (187). São ainda os anjos que «evangelizam» (188), anunciando a Boa-Nova da Encarnação (189) e da Ressurreição (190) de Cristo. E estarão presentes aquando da segunda vinda de Cristo, que anunciam (191), ao serviço do seu juízo (192).


Serafins 

do grego "séraph", abrasar, queimar, consumir

Assistem ante o trono de Deus e, é seu privilégio estarem unidos a Deus de maneira mais íntima, nos ardores da caridade. 


Querubins

do hebraico "chérub", que São Jerônimo e Santo Agostinho interpretam como "plenitude de sabedoria e ciência".

Assistem também ante o trono de Deus e, é seu privilégio verem a verdade de um modo superior a todos os outros Anjos que estão abaixo deles. 

Tronos  

algumas vezes são chamados "Sedes Dei". (Sejas de Deus)

 Também assistem ante o trono de Deus e, é sua missão assistir aos Anjos inferiores na proporção necessária.

Dominações

são assim chamados porque dominam sobre todas as ordens angelicais encarregadas de executar a vontade de Deus.

Distribuem aos Anjos inferiores suas funções e seus ministérios.

Potestades

ou "condutores da ordem sagrada", 

executam as grandes acções que tocam no governo universal do mundo e da Igreja, operando para isso prodígios e milagres extraordinários.

Virtudes

cujo nome significa "força",

são encarregados de eliminar os obstáculos que se opõem ao cumprimento das ordens de Deus, afastando os anjos maus que assediam as nações para desviá-las de seu fim e, assim, mantendo as criaturas e a ordem da Divina Providência.

 


Principados

como seu nome indica, estão revestidos de uma autoridade especial:

são os que presidem os reinos, as províncias e as dioceses; são assim denominados pelo motivo de que sua acção é mais extensa e universal.


Arcanjos

São enviados por Deus em missões de maior importância junto aos homens. 

Anjos

Os que têm a guarda de cada pessoa em particular, para desviá-la do mal e encaminhá-la ao bem, defendê-la contra seus inimigos visíveis e invisíveis, e conduzi-la ao caminho da salvação. Velam por sua vida espiritual, corporal e a cada instante, enviam as luzes, forças e graças que necessitam.

CONHEÇA A NOSSA PÁGINA PRINCIPAL